quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Aproveitemos as desgraças

Às vezes uma desgraça, um contratempo, um revês enfim nos deixa sem ação. Mas, quanto mais penso no assunto todas essas desgraças, esses contratempos e reveses trazem condições para mudanças e suas soluções. Algumas inesperadas e inovadoras, até.
Senão vejamos alguns exemplos;
No Haití, o último terremoto acabou com quase todo. Seja lá o tipo de organização que tinham, não existe mais. As construções ruiram como castelos de areia, e não ficaria surpreso se as que ainda não cairam, irão fazê-lo num futuro relativamente curto. As imagens que nos têm chegado é a de um caos de gente sem destino ou função esperando "maná cair dos céus". E muitos países, esquecendo seus próprios problemas, ajudando essas pessoas. Reforçando muitas vezes esta espera de chuva de maná. Ok, acredito que num primeiro momento seria útil essa ajuda. Mas com o tempo ela deveria mudar e adaptar-se às necessidades do local. Recriar a sociedade ou melhor aproveitar o momento para criar uma sociedade melhor, uma organização social melhor para o Haití. Se seus líderes viram a necessidade de fugir do local, melhor! Não eram bons líderes, outros surgirão. Mas, num novo contexto. Um onde o bemestar de todos seja a razão primordial. Onde o desenvolvimento pessoal crie condições para o social e vice-versa. E onde as pessoas se adaptem ao meio-ambiente e não mais forçar o contrario.
Nossa própria história recente nos mostra que saímos melhores das desgraças. Basta lembrar uns 20, 30 anos atrás a situação em que estavamos. Foram necessárias todas essas "passagens" para melhorar. Digo "melhorar" pois acredito piamente que estamos melhor hoje do que naquela época. Pode discordar a vontade.
Não virar as costas e ficar pensando como eramos, mas encarar o presente e trabalhar com afinco para atingir o futuro que queremos. Cuidar do processo para atingí-lo, lembrando que todos estamos ligados por ação ou reação.
E cada um tem seu tempo certo de aprender e reagir.
(continua)