domingo, 20 de novembro de 2011

Resultado e Bom resultado

A diferença entre um resultado e um bom resultado é que o bom resultado transcende ao fato.

(Des)Construíndo algumas velhas idéias e propostas apresentadas, sempre encontrei este mesmo traço. Algumas definitivamente deram com os muares n'água, outras meh, daquelas boas, as melhores delas transcendiam ao fato, iam além do esperado, do planejado inicialmente.
E, ainda destas, duas ou três, criaram asas e foram até capazes de gerar subprodutos e novas idéias. (Aplausos!)

Estas propostas foram incorporadas, não mais fait accompli, mas algo natural. Sem esforço a mais. Uma verdadeira situação ganha-ganha.
Quem propôs e quem aceitou criaram uma igualdade; não mais um movimento unidirecional, mas uma troca igual de impressões. Onde ambas as partes viram vantagens e utilidades iguais nas propostas.
E o resultado não só confirmou as expectativas, mas às vezes superando-as de muito.

Claro que houve quem, à primeira instância, achasse ridículo, mas basta um sonhador. De ambos sempre há, pelo menos um, na plateia.

Alguns chamam de empenho, outros; pura sorte (sheer luck). Não importa muito o nome que demos. Os resultados são de um maniqueísmo matemático. São bons ou não.
Uma vez satisfeita a condição, desliga-se da necessidade e pronto. Ninguém pensa mais nisso. Eis uma limitação! Vemos tudo linear e isolado. Cá para mim, vejo ciclos, conexões e relações.

Mas é, nesta zona de conforto, que definitivamente podemos fazer análise de resultados e chegar a conclusões, melhores práticas e racionalização de processos que nos levarão, mais facilmente a resultados semelhantes em outras situações. Ou chegarmos perto.

Pois nela estamos em condições de enxergar o verdadeiro alcance de nossos esforços. Podemos traçar as rotas e mapear desenvolvimento.
Inovação.