segunda-feira, 30 de março de 2015

Coisas a toa

Passo muito tempo sentado numa sala escrevendo, lendo e pensando.
De vez em quando consigo escapar de mim mesmo e saio portão afora, como cachorro fugido, para andar sem rumo. Enquanto ando costumo criar histórias ou diálogos que uso para não ver por onde vou.
Às vezes essas histórias são pouco mais que piadas que teriam que ser explicadas às outras pessoas para alcançar o que em mim é jocoso sem explicação.
Acabei de voltar de uma dessas fugas, e trouxe esta comigo:

1) Dentista
Fui ao Posto de Saúde próximo de casa porque um dente insistia em incomodar à vizinhança e eu decidí acabar com a festa. Demorou pouco e fui atendido por uma "médica" paramentada.
Declarei o propósito da minha visita e ela, profissionalmente, me mandou calar, abrir a boca e apontar o culpado. É o mais perto da Delação Premiada que vou chegar, não adianta insistir.


Mostrei.
Ela viu, cutucou (doeu pacas, mas ela não sentiu nada) pra lá e pra cá. Tirou o braço da minha boca e disse: "Não posso fazer nada" (pra mim, ela tinha conseguido piorar minha dor, mas ela é a dentista. Quem sou eu para discordar).
E profetizou genérica: "Ainda vai perder vários dentes".
"Será a terceira dentição?" perguntei entusiasmado.
"Não! Você vai perder 30% de massa óssea", atalhou num rabo-de-arraia de dentro do seu avental branco.

Acho que o que vou perder é esse costume de vir ao PS toda vez que precise atendimento básico.
Vou trocar de dentista.


2) ou então:

  • Getting old is waaaaay better than the alternatives.
  • Às vezes fazemos as coisas erradas porque na hora eram as únicas coisas certas a ser feitas.
  • A vida é uma tragédia dançante.
  • Tried to be normal today. Worst 2 minutes of my life!
  • ...


Postar um comentário