domingo, 29 de março de 2009

Bobagens

Às vezes me pego a pensar bobagens. Ou melhor; às vezes penso nas bobagens que penso. Ou, bobagens que outros pensam, o que é pior. Visto que só as minhas já me bastam. Mas, acontece que elas estão ai a ocupar espaço e neurônios que d'outra forma poderiam ser melhor aproveitados. E, quando a bobagem dura mais de um dia rondando na minha cabeça sem ir para lugar algum, tenho que tomar providências.

Estivemos a estudar conceitos do Guia PMBOK, de gestão de projetos, e uma frase colou nas sombras da minha consciência para resurgir hoje de manhã com força total:
"Objetivo do Projeto, é do projeto e não do cliente." (sic)
Que só agora, depois de escutar mais de três vezes, percebo a importância da frase. O objetivo do projeto É do projeto e não do cliente, oras!
Isto implica na independência do projeto sobre os desejos do cliente. O patrocinador pode, ou não, querer esse resultado? Ou então, existe a possibilidade do patrocinador fazer tudo para que este resultado específico não aconteça, mesmo que o projeto indique ser esta a solução mais adequada?!
Ele pode se retirar e acabar com a execução do projeto, mas o diagnóstico (se foi bem feito) continuará válido, independente disso?!
Paradoxo interessante para discussão em grupo.
É como perder o equilíbrio dentro de uma loja... em Murano!
Mas, ainda acho que uma mesa redonda comigo mesmo não daria muito certo.

Percebo que cometí um erro ao confundir objetivo com resultado. Objetivo como as metas que queremos atingir. Resultado como as metas atingidas.
Postar um comentário